Chenin 2020, Mosse

O casal Agnès e René Mosse, que era dono de um winebar em Tours, resolveu mudar a forma de lidar com vinhos. Em 1999 adquiriram terras no Loire, mais especificamente em Saint-Lambert-du-Lattay, e passaram a elaborar seus próprios vinhos. A filosofia adotada, deste o início, foi a de baixa intervenção, seguindo os exemplos de Jo Pithon, François Chidaine, Thierry Puzelat e Christian Chaussard. Atualmente com 17 hectares de vinhedos e os filhos Sylvestre e Joseph elaborando os vinhos, tem como foco principal a Chenin Blanc, que ocupa mais de 50% de sua área de vinhedos.

O Chenin 2020 é seu vinho de entrada, elaborado a partir de quatro parcelas diferentes de videiras plantadas em 2000, 2001 e 2002 em Saint-Lambert-du-Lattay e no Clos des Huerdes, em Beaulieu-sur-Layon. As videiras são cultivadas de forma orgânico certificada e com uso de princípios biodinâmicos nos solos de xisto da região, na parte conhecida como Anjou Noir. Na vinificação, após colheita manual, as uvas passaram por fermentação alcoólica com uso exclusivo de leveduras indígenas, parte em tanque de aço inoxidável, parte em tanque de concreto e uma parte em barris usados. O vinho passou por estágio de seis meses com suas lias, para posterior assemblage e período de um mês e meio em aço inoxidável antes do engarrafamento.

Degustando

Um Chenin Blanc que mostrou uma personalidade mais intensa de vinho natural, talvez como consequência da decisão de praticamente não usar sulfitos (o sulfito total medido foi de apenas 24 mg/L). No visual, mostrou coloração amarelo palha com leve turbidez, com olfativo marcado por notas de redução (algo entre a pólvora que agrada e os ovos podres que não agradam), acidez volátil um pouco acima do limite, além de aromas de frutas brancas, cítricos e pedras molhadas.

Na boca, um vinho de alta acidez, corpo médio e textura presente. Direto e vertical, se mostrou um vinho de muito frescor, boa estrutura e tensão, que deve agradar bastante àqueles com maior tolerância para redução e acidez volátil (que seguiu no palato), mas encontrar maior resistência daqueles com menor tolerância. Não é importado para o Brasil e é vendido na Europa na faixa de € 25.

Nome do VinhoCheninSafra2020Produtor MosseEnólogoJoseph Mosse, Sylvestre MosseUvaChenin BlancSoloXisto e argilaGraduação Alcoólica13%RegiãoVal-du-Layon (Indre-et-Loire) DenominaçãoVin de FrancePaísFrançaAgriculturaOrgânica CertificadaVinificaçãoNatural

O post Chenin 2020, Mosse apareceu primeiro em Wine Fun.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.