Conhecendo a Borgonha: Pommard, origem dos tintos mais estruturados da Côte de Beaune

Os vinhedos de Pommard, que ficam entre os mais famosos da Côte de Beaune, têm uma longa história. A relação desta área com a agricultura fica evidente até no seu nome, já que seu nome deriva da palavra Pomona, que representa a deusa romana de árvores frutíferas, jardins e pomares. Com vinhedos reconhecidos desde a época romana, atualmente Pommard é a sétimo maior produtor de vinhos da Côte d’Or, com foco exclusivo em vinhos tintos.

Este vilarejo, que fica ao sul de Beaune e norte de Volnay, se beneficiou da proximidade com estes dois centros. No passado, Volnay era uma das áreas onde os Duques da Borgonha tinham maior influência, o que resultou no fato dos vinhedos de Pommard terem maior concentração de Pinot Noir, ao invés de Gamay, variedade considerada inferior pelos nobres. Já a proximidade com Beaune colocou Pommard no centro da atenção dos poderosos négociants da Borgonha. O resultado é que os vinhos de Pommard por muito tempo figuraram entre os mais exportados de toda a Borgonha.

Vinhos de renome

Os vinhos de Pommard são reconhecidos pelo seu estilo mais encorpado e estruturado, porém sem perder a classe. Muita gente considera seus tintos como aqueles, dentre as denominações de origem da Côte de Beaune, mais próximos em termos de estilo daqueles da Côte de Nuits. Existem diferenças de estilo em Pommard por conta de localização de vinhedos, práticas dos produtores e mesmo por conta do aquecimento global. Em geral, porém, existe um contraste significativo de estilo com seu vizinho ao sul, Volnay, conhecida por seus vinhos mais sedosos e elegantes.

E boa parte desta diferença de estilo se deve aos solos de Pommard. Por conta de sua composição, os solos de Pommard são mais ricos, com maior proporção e diferentes propriedades de argila, além de maior presença de ferro, o que traz uma cor avermelhada a diversos de seus vinhedos. Esta composição de solo contribui para vinhos de alta concentração de cor, maior estrutura e presença mais abundante de aromas e sabores de frutas, além de taninos mais intensos e presentes. São Pinot Noirs de longo potencial de guarda.

Pommard e seus vinhedos

A denominação de origem Pommard foi criada em 1936 e atualmente, além dos vinhos villages, concentra também 28 Premiers Cru, sem nenhum climat classificado como Grand Cru. No total, são 337 hectares de vinhedos, dos quais 125 ha (37%) classificados como Premier Cru. A produção média é de 10.915 hectolitros, dos quais 34% Premiers Cru.

Seus vinhedos Premier Cru (representados em laranja no mapa abaixo) podem ser basicamente divididos em três grupos. Existem aqueles ao norte do vilarejo, na direção de Beaune, os ao sul, no sentido Volnay e aqueles no flanco sul do vale a noroeste do centro de Pommard, na direção de Nantoux.  

Como em praticamente toda a Côte d’Or, os melhores vinhedos ocupam a parte intermediária das encostas, com os climats village ficando com as partes mais baixas e mais altas. Em Pommard, curiosamente, porém, a área de vinhedos village na parte mais alta é superior a mais baixa, algo raro na Côte d’Or.

Principais destaques

Embora não possua atualmente vinhedos Grand Cru (nenhum produtor, talvez por questões fiscais, fez o pedido em 1936), Pommard tem dois grupos de climats Premier Cru reivindicando esta posição. De um lado, os climats Petits Epenots e Grands Epenots, representados sobretudo pelo Clos des Epeneaux (considerado como origem dos mais elegantes vinhos de Pommard), todos situados mais ao norte, próximos a Beaune.

De outro lado, já na direção de Volnay, os dois climats de Les Rugiens também buscam esta distinção, representando o estilo mais tradicional e potente de Pommard. No entanto, não faltam outros vinhedos Premier Cru de alta qualidade na região, com destaque para Les Jarolières e Les Chaponnières (no lado sul) e Les Pézerolles e Les Charmots (norte). Já para quem está olhando para vinhos menos caros, alguns vinhedos village interessantes são Les Noizons, Les Petits Noizons, Les Valmuriens e Les Cras.  

Produtores em evidência

Apesar de sua proximidade de Beaune, que concentra uma grande quantidade de produtores, vários nomes se destacam em Pommard. Talvez o mais renomado seja a Domaine du Comte Armand, que é o único proprietário (monopole) do Clos des Epenaux. Outros nomes que bem representam a região são Domaine de Courcel, Domaine Gaunoux e Domaine Parent.

Para quem faz turismo na região, é difícil não se deparar com o Château de Pommard. Chama a atenção o seu vinhedo Clos de Marey-Monge, o maior monopole de toda a Côte d’Or, com 17,5 hectares. Por conta de seu tamanho e diferentes características de suas parcelas, a vinícola produz seis diferentes cuvées a partir deste vinhedo.

Fontes: Vins de Bourgogne; Wine Scolar Guild; Inside Burgundy, Jasper Morris

Mapa: Vins de Bourgogne

Imagem: Arquivo pessoal

O post Conhecendo a Borgonha: Pommard, origem dos tintos mais estruturados da Côte de Beaune apareceu primeiro em Wine Fun.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.