França, Espanha e Itália derrubam produção de vinho para patamar historicamente preocupante

A safra de 2021, ao menos do ponto de vista de quantidade, foi muito complicada para os três maiores produtores mundiais de vinho (Itália, França e Espanha), que correspondem a 45% da produção mundial. Por conta de condições climáticas desfavoráveis, a queda na produção destes três países levou a uma redução de cerca de 22 milhões de hectolitros na produção de vinho da União Europeia em relação a 2020, o que corresponde a uma queda de 13%.

Para ter uma ideia desta perda de produção, ela é maior do que produção total de vinho em 2020 do quinto maior produtor mundial, a Argentina, e corresponde a cerca de onze vezes e meia a produção do Brasil no mesmo período. Embora os países do hemisfério sul tenham mostrado um bom desempenho em 2021, a queda na Europa levou a produção mundial a uma baixa prevista de 4% frente ao ano anterior.

Esta redução na produção representou o terceiro ano consecutivo de queda, com a produção se aproximando do nível registrado em 2017, o mais baixo das últimas décadas. A produção estimada em 2021, na faixa entre 247 e 253 milhões de hectolitros, deve ficar, portanto, em um patamar 15% inferior ao registrado em 2018, o mais alto dos últimos anos.

Troca de cadeiras

Apesar de uma previsão de queda de 9% na sua produção, a Itália manteve a posição de maior produtor mundial de vinho, com um total de 44,5 milhões de hectolitros. Já a segunda posição mudou de dono, com a Espanha fechando o ano com uma produção total de 35 milhões de hectolitros, 14% abaixo do nível de 2020.

Desastrosa talvez seja a melhor palavra para descrever a safra 2021 na França, ao menos em termos de quantidade. Afetada por fortes geadas em abril e sentindo o efeito de chuvas torrenciais no verão, a França viu sua produção cair 27% em relação a 2020, para um patamar de 34,2 milhões de hectolitros. A queda foi ainda mais severa em algumas regiões, como Jura, Borgonha, Vale do Loire e Champagne.

Poucos destaques positivos

Além do excelente desempenho das nações do hemisfério sul (com exceção da Nova Zelândia), poucos foram os destaques positivos.  Os únicos grandes países produtores de vinho da União Europeia que registraram safras superiores a 2020 foram Alemanha, Portugal, Romênia e Hungria.

Nos Estados Unidos, quarto maior produtor mundial, a expectativa é de uma safra de 24,1 milhões de hectolitros, 6% acima do nível de 2020, porém ainda 3% abaixo da média das últimas cinco safras.

Os 20 maiores produtores

Confira na ilustração abaixo a estimativa dos 20 maiores produtores de vinho em 2021. Se você está usando seu celular ou tablet e quiser ampliar a visualização, toque e solte rapidamente cada um dos círculos. Caso queira ver os dados completos de cada país, basta tocar no círculo correspondente e manter até que o pop-up com dados apareça. Se estiver usando PC, basta passar o cursor do mouse.

*Não há estimativas para a produção de 2021 da China, dados de 2020 foram usados

O post França, Espanha e Itália derrubam produção de vinho para patamar historicamente preocupante apareceu primeiro em Wine Fun.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.