Pirâmide sem topo? Château Angelus é mais um nome importante a sair da classificação de Saint-Emilion

Mais um choque, menos de seis meses depois da bombástica decisão dos icônicos Château Ausone e Château Cheval Blanc de sair da classificação da denominação de origem Saint-Emilion. Desta vez foi Château Angelus que decidiu deixar o sistema, já a partir da safra 2022. A alegação é que a classificação da região se tornou “um veículo para antagonismo e instabilidade”.

Com esta decisão, dos quatro produtores que compunham o topo da pirâmide de classificação de Saint-Emilion até 2020, a categoria Premier Grand Cru Classé ‘A’, restou apenas um, o Château Pavie. Vale lembrar que tanto Château Angélus como Château Pavie passaram a fazer parte do mais alto degrau da classificação somente em 2012, após um controvertido processo.

Ação e reação

A principal executiva do Château Angelus, Stéphanie de Boüard-Rivoal, deixou claro que a decisão também teve outros motivos. A saída do processo de classificação tem também ligação com a recente condenação de seu pai. Hubert de Boüard de Laforest, pai de Stéphanie, coproprietário da vinícola e consultor na área de vinhos, foi considerado culpado em uma ação judicial, cuja sentença foi anunciada em outubro de 2021.

Um tribunal de Bordeaux condenou Boüard de Laforest pelo uso de sua posição dentro do conselho da denominação de origem de Saint-Emilion para influenciar as mudanças anunciadas em 2012. O tribunal considerou que ele participou do processo de classificação, apesar de ter interesse financeiro na classificação e atuar como conselheiro de propriedades em consideração. Ele foi condenado a pagar uma multa de €40.000 por seu papel.

Para o Château Angélus, esta crescente judicialização do processo de classificação foi, porém, a gota d’água. O comunicado da vinícola deixa isso claro. “Isso aconteceu, naturalmente, em 2006 e depois novamente em 2012 (os processos judiciais ainda estão em andamento quase dez anos depois). Acabamos de saber que dois produtores já entraram com processo judicial emergencial contra a classificação de 2022, que está em processo de elaboração”.

A posição do conselho

O conselho da denominação de origem Saint-Emilion reagiu ao anúncio. “Do ponto de vista coletivo, lamentamos isso”, disse Jean-François Galhaud, presidente do conselho, a respeito da decisão de Angélus. Mas Galhaud enfatizou que a classificação deve prosseguir como planejado incialmente.

O executivo esclareceu sua posição. ‘Como a classificação de 2022 está sendo elaborada, cabe a nós olhar para o futuro e respeitar o importante trabalho realizado pela Autoridade Nacional Francesa de Denominação (INAO), a fim de permitir que essa classificação revisável seja uma ferramenta formidável para o desafio, a inovação e a modernidade’.

Ao contrário da classificação das vinícolas da margem esquerda de Bordeaux, que sofreu poucas mudanças desde sua implementação em 1855, a denominação de origem Saint-Emilion tem sido muito mais dinâmica e proposto mudanças mais frequentes. Já a outra denominação mais importante da margem direita, Pomerol, sequer tem uma classificação hierárquica para seus produtores ou vinhedos.

Fontes: Château Angelus; Decanter; Wine Spectator

Imagem: Kurt Bouda via Pixabay

O post Pirâmide sem topo? Château Angelus é mais um nome importante a sair da classificação de Saint-Emilion apareceu primeiro em Wine Fun.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.